Resenha: A Invenção de Hugo Cabret

22:08 Sofia Trindade - Fórmula do Amor 5 Comments


 Autor: Brian Selznick                 
Título: A Invenção de Hugo Cabret
Editora: SM
Lançamento: 2007
Páginas: 534
Tradutor: Marcos Bagno
ISBN:9788576752035

Sinopse :Hugo Cabret é um menino órfão que vive escondido na central de trem de Paris dos anos 1930. Esgueirando-se por passagens secretas, Hugo cuida dos gigantescos relógios do lugar - escuta seus compassos, observa os enormes ponteiros e responsabiliza-se pelo funcionamento das máquinas. A sobrevivência de Hugo depende do anonimato - ele tenta se manter invisível porque guarda um incrível segredo, que é posto em risco quando o severo dono da loja de brinquedos da estação e sua afilhada cruzam o caminho do garoto. Um desenho enigmático, um caderno valioso, uma chave roubada e um homem mecânico estão no centro desta história, que, narrada por texto e imagens, procura misturar elementos dos quadrinhos e do cinema.

Resenha: Talvez seja um pouco difícil fazer uma resenha de um livro que me introduziu a vida literária. A historia do Hugo na minha vida foi muito satisfatória e devo metade dela a minha mãe. Eu ganhei o livro na escola e como era uma preguiçosa (ainda sou) e o livro era grosso nem quis relar nele! Sem falar a capa atrás que era "preta" então pensei, "deve ser de terror não vou ler". morro de vergonha de falar isso, mas era assim mesmo que eu pensava. Mas minha mãe, que é um anjo, me aconselhou a lê-lo. Foi ai que tomei vergonha na cara, e li a sinopse. Então comecei a ler o livro. Em 3 dias, eu acabei a história que mudou definitivamente minha vida. Chega de blá blá blá e vamos direto ao ponto. O livro tem um mistério, maravilhoso, do começo ao fim. Pelo tamanho nos assustamos um pouco, mas ele tem gravuras e algumas até ocupam a página inteira. O que mais suga é aquela vontade de saber como vai acabar o esperado mistério e como será definida a vida de Hugo, já que ele era um garoto órfão. Uma das coisas mais legais é quando descobrimos que um dos personagens do livro realmente existiu. Ele é o Georges Méliès, que é considerado o "pai dos efeitos especiais" no cinema. O livro não é nem um pouco cansativo e a leitura é muito fácil e prazerosa. Se Paris é um lugar lindo, na adaptação ficou melhor ainda. A forma como Brian Selznick, usou o lugar me deixou encantada e com uma vontade de ir lá. Os personagens principais são uma graça. Hugo é um amor de menino, inteligente, corajoso e habilidoso. Sem contar os desenho que gente, são lindos demais. Não sei se posso falar isso, mas digamos que o livro é um Sherlock Holmes infantil (Rei Arthur me perdoe...) digo isso, pelo fato de que tudo vem se encaixando e esclarecendo nossas dúvidas assim como os mistérios de Sherlock. Só que claro de uma forma mais simples, mais tranquila e fácil de entender. O fim de mistério é de tirar o fôlego e arrepiar todos os pelos do corpo. Todos mesmo. E com um final belíssimo vemos a trajetória de um grande cineasta e um menino órfão que nos encanta com seu jeitinho.

Você pode ler também

5 comentários:

  1. Gosto do jeito que faz tuas resenhas, faz qualquer livro parecer fascinante!
    Bjs da Le
    http://leversosecontroversias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá Sofia! Eu já li esse livro, também fiquei com preguiça de ler no começo, mas assim que li a sinopse já fiquei interessada, a história te leva a uma viagem á Paris, é muito bom mesmo! Gostei da sua resenha, foi bem explicada. Seu blog é muito legal! Parabéns!

    ResponderExcluir
  3. Olá Sofia! Eu já li esse livro, também fiquei com preguiça antes de ler, mas assim que li a sinopse já me interessou, o livro é muito bom mesmo, te leva à uma viajem á Paris. Gostei muito da sua resenha, muito bem explicada, seu blog é muito legal. Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Oi Sofia, nossa queria ter facilidade assim como você de conseguir fazer uma resenha curta e objetiva, ainda mais se tratando de um livro de 500+ paginas!

    Eu quando gosto de um livro desando a digitar e ninguém me segura.
    Adorei a premissa!

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  5. Oi, Sofia, tudo bem?
    A sua resenha está um encanto, gostei (e ri muito) da sua história com "A Invenção de Hugo Cabret", ficou muito fofo! E tenho certeza de que o Sr. Doyle não vai ficar chateado com a comparação! Vou adicionar a wishlist! Beijos!

    bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir

ATIVE AS NOTIFICAÇÕES de resposta clicando em "Notifique-me", no canto DIREITO da caixa de comentários.
Isso aumenta a interação entre blogueiro e leitor e você pode ler minha resposta :)