Clássicos; como perder o preconceito?

12:35 Luca Alves 3 Comments




Começaremos assim: Charles Darwin, oriundo de uma nobre família inglesa. Seu pai, um médico bem-sucedido, que temia o fracasso do filho, sonhava com o futuro de Darwin, também, como médico, mas Darwin só pensava em catar besouros, hábito vindo desde a infância, no Campus da mais disputada universidade do mundo, a Cambridge.

Mas a vida de Darwin não foi um fracasso, pelo contrário, Darwin derrubou a teoria de Lamarck, biólogo francês, após anos de pesquisa ao redor do mundo, e descobriu, comprovou e nos obriga aprender o  novo modelo da Teoria da Seleção Natural, Darwinismo ou Teoria da Evolução.

Tá, mas e daí? O que isso tem a ver com a literatura? Em resumo, a Teoria da Evolução proposta por Darwin diz que viverá, apenas, aquele que melhor se adaptar.

Se você, que está estudando pro vestibular, não sabe quem são Machado de Assis, José de Alencar, Olavo Bilac ou Clarice Lispector, sinto muito em lhe informar, mas você está fazendo isso errado.

Ano passado eu estava focado no vestibular que só faria em 3 anos. Devo isso a uma amiga (valeu, Alessandra!). Naquela loucura chamada estudos, prometi que só leria, até o final do ensino médio, os clássicos da literatura, nacionais ou internacionais.

Meu colégio conta com uma biblioteca maravilhosa, acho que, a terceira maior da cidade, e nela encontramos desde Goethe até J.R.R. Tolkien.

No início eu não gostava. Leitura muito rebuscada, histórias sem pé nem cabeça, coisas que não me chamava atenção. Mas aí encontrei Nelson Rodrigues e me apaixonei pelas suas peças. Em busca de livros com o mesmo tema, mesma estrutura, passei por Shakespeare, Clarice, José de Alencar, Aluísio de Azevedo, e notei que os livros que eu lia já não tinha muita relação com as peças de Nelson e o meu preconceito e dificuldades em entender a linguagem, histórias, situações históricas, não existia mais.

É tudo questão de necessidade ou de encontrar aquele alguém que lhe faça quebrar os tabus.

Você pode ler também

3 comentários:

  1. Já tive esse tipo de preconceito literário, na verdade, tenho até hoje! Alguns livros nacionais, como O Cortiço, me interessam por fora mas as páginas me afastam, quero dizer, tive esse mesmo sentimento de que devria fechar aquele livro e voltar as minhas aventuras. Tenho preconceito, pasmem, com Crônicas de Gelo e Fogo! Mas depois desse seu texto, prometo quebrar esse tabu literário!

    Beijos
    http://blogbicicletario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Acho que é isso mesmo que você falou... As vezes precisamos só de um empurrãozinho pra quebrar o tabu, um alguém que indique, que incentive. Também ja passei por essa fase e dessa fase, graças a Deus. Hehehehe. Bus

    http://radarmexeriqueiro.blogspot.com.br/2015/05/bateu-vontade-destinos-exoticos.html

    ResponderExcluir
  3. Acho que tds nós temos um pouquinho de preconceito, nem se for la no fundo
    e isso acontece desde muito tempo infelizmente
    da uma passadinha no meu blog? e se gostar segue ? ja sigo seu cantinho..
    bjs u3u
    http://girlzofunicornland.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

ATIVE AS NOTIFICAÇÕES de resposta clicando em "Notifique-me", no canto DIREITO da caixa de comentários.
Isso aumenta a interação entre blogueiro e leitor e você pode ler minha resposta :)