Resenha: O Sangue do Cordeiro

02:14 Sofia Trindade - Fórmula do Amor 12 Comments

O Sangue do Cordeiro
Autor: Sam Cabot
Ano: 2015 / Páginas: 368
Editora: Arqueiro (Editora Parceira)
Nota:

Sinopse: Este documento, querida amiga, vai abalar a Igreja.”
Ao ler essas palavras em uma carta encontrada em um arquivo empoeirado, Thomas Kelly fica cético. O documento citado na correspondência está desaparecido, mas Thomas, padre da ordem dos jesuítas, duvida que exista algo com tal poder – até ser convocado ao Vaticano para iniciar uma busca desesperada por ele.
Enquanto isso, diante de um conselho formado por seus superiores, Livia Pietro recebe instruções claras: encontrar um padre jesuíta recém-chegado a Roma e juntar-se a ele na procura da Concordata, um tratado que contém um segredo tão chocante que poderá destruir para sempre todo o povo de Livia.
Enquanto pistas cifradas do passado lançam os dois em um universo traiçoeiro repleto de obras de arte, maquinações religiosas e conspirações, eles são caçados por pessoas capazes de tudo para achar o documento primeiro. Thomas e Livia, então, precisam correr para montar o quebra-cabeça capaz de redefinir os rumos da história e evitar o caos e a destruição que a revelação da Concordata poderá causar. Livia, porém, tem um segredo: ela e seu povo são vampiros.
Com uma narrativa que remete ao estilo de Dan Brown e ao terror sobrenatural de Anne Rice, O sangue do cordeiro é uma viagem inesquecível a um passado inimaginável.

Resenha: Esse livro foi como uma grande montanha-russa para mim. Em alguns momentos minha nota era 4, depois 3 e subia para 4 de novo. Em O Sangue do Cordeiro, Sam Cabot (pseudônimo de Carlos Dews e S. J. Rozan) desenvolve uma trama que poderia ser mais trabalhada e explorada para um lado mais sombrio e, digamos, com mais sangue.

Ler um livro que tenha um enredo sobre vampiros e a igreja católica pode ser animador e ao mesmo tempo cansativo,  e foi essa a sensação que eu tive ao ler essa obra. Por juntar dois mundos que geraram tantas histórias e lendas eu imaginava que o autor (ou os autores) iria nos mostrar uma grande batalha e um mistério que faz com que você não pare de ler até acabar. Não é exatamente isso que acontece. Há sim uma intriga entre a igreja católica e os vampiros, mas eu esperava algo mais emocionante.

Talvez, a ideia do autor de colocar vários personagens para chamar a atenção do leitor tenha falhado muito nesse livro. Não senti necessidade nenhuma de colocar personagens insignificantes, que só apareciam de vez em quando, para criar aquele suspense de como será o final. E acabou que alguns desses personagens eram tão insignificantes que o final deles na obra me deu raiva e me fez pensar: Pra que isso?.

Lívia e Thomas são dois personagens que me atraíram e, se eles existissem, eu adoraria conhece-los. Por mim, se eu fosse o autor, colocaria apenas eles dois atrás da Concordata e o livro se desenvolveria de uma forma mais rápida, agradável e muito mais emocionante.

A escrita de Sam Cabot não me agradou 100%, mas também não me decepcionou. Acho que se o autor tirasse toda a enrolação e partes desnecessárias tudo estaria bem e sua obra seria minha favorita. Até entendo que ele focou mais na parte da igreja católica, porém seria muito legal ver os vampiros agindo como os vampiros do livro Abraham Lincoln- Caçador de Vampiros, a trama ficaria mais balanceada e desesperadora.

Ao todo o livro não foi um dos meus favoritos do ano, mas também não foi uma grande decepção. Mesmo tendo vários personagens e coisas nada a ver tentei focar mais nos principais e acabei gostando da inteligencia de Lívia e Thomas e da mensagem que o autor quis passar de que mesmo tendo votos e acreditando em algo, somos humanos e temos desejos (no caso de Thomas, que era  padre e Lívia, que era vampira, e cometeu um erro que não posso contar). O autor também mandou muito bem ao juntar a história real com o fictício. Ver "revelações" de personagens tão importantes para a nossa história consegue deixar qualquer um de boca aberta! P.S: Quem leu vai saber do que estou falando.

Eu adorei a capa desse livro, o capista soube dosar o vermelho sangue com a imagem da igreja. Dentro do livro tem um mapa de Trastevere, que é o local que a trama se desenvolve, que ajuda o leitor a seguir os paços dos personagens.

Você pode ler também

12 comentários:

  1. Ai que pena que os autores se perderam um pouco na ideia do livro, eu achei que a história fosse uma mistura de Dan Brown com vampiros, mas estava me equivocando completamente.. rsrsrs
    Vou anotar a indicação, não sei se leria no momento, mas caso tenha oportunidade a farei para compreender a mensagem que o autor quis passar

    ResponderExcluir
  2. Estou curiosa pelo livro, mas confesso que não é algo que compraria, só se tivesse muito dinheiro sobrando. O que não é o caso :( Mas, se ganhasse de presente hehehehhe
    No geral, gosto das abordagens que o autor dá as histórias dele.

    ResponderExcluir
  3. Te entendi e acho que sentiria o mesmo. Tenho vontade de ler o livro, mas por tudo isso que vc disse e eu já imaginava tenho um pé atras. Continuarei com a ideia de ler o livro, por não por enquanto.
    Otima resenha :)
    http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Lembro de quando esse livro lançou, e apesar de eu ter podido solicita-lo, eu acabei escolhendo outros livros, pois ele acabou não me agradando muito.
    Agora, lendo sua resenha, só percebi que esse é definitivamente um livro que eu não iria gostar de ler.

    Beijos
    http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. oi ^^
    sei bem como é quando a gente gosta e não gosta do livro, mas pelo menos vc focou em outras coisas e acabou gostando da leitura.
    pow no momento eu não to afim de ler, mas quem sabe um dia.
    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  6. Oie. A capa é linda e gostei da sinopse. Mas a sua resenha me deixou no pé atrás. Mas talvez eu dê uma chance a ele.

    Beijão da Lari 😘
    http://brilliantdiamond-bg.blogspot.com.br/?m=1

    ResponderExcluir
  7. Sofia, eu concordo com você... quando se resolve contar uma história que mescla igreja católica e vampiros tem que ser bem desenvolvido para mexer com a gente e se fica nesse sobe e desce tudo fica mais chatinho.
    Por isso eu não me empolguei tanto.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  8. Oie
    Eu achei diferente essa junção de vampiros e igreja católica, nunca li nada parecido, mas também não consegui me interessar no livro.
    Adorei sua resenha, mas por enquanto estou correndo de livros desse gênero kkk

    ResponderExcluir
  9. Oi :)
    Achei a capa dele bonita e gostei da sinopse. Sua resenha mudou minha impressao dele. Mesmo assim, darei uma chance a leitura.

    Beijinhos...
    http://estantedalullys.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Eu tinha lido resenhas bastante positivas sobre esse livro, mas confesso que não é muito o meu estilo de leitura. Não gosto muito de livros assim, mas se um dia tiver a oportunidade de ler esse livro, lerei.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oie, tudo bom?
    Eu li muitas resenhas desse livro que acabaram despertando minha curiosidade sobre ele. Acho a premissa diferente, mas não gostei de saber que o autor dá uma enrolada. Quero dizer, que ele poderia ser mais sucinto na trama. É um livro diferente da minha zona de conforto.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oii!

    Não conhecia esse livro ainda, mas achei a história bem interessante e com cordo com você, a capa ficou linda com o vermelho ^^ Já ouvi falar do autor, mas ainda não tive oportunidade de ler alguma coisa dele :(
    Parabéns pela resenha!

    Beijos, Amanda
    www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir

ATIVE AS NOTIFICAÇÕES de resposta clicando em "Notifique-me", no canto DIREITO da caixa de comentários.
Isso aumenta a interação entre blogueiro e leitor e você pode ler minha resposta :)