A sensação de perder as esperanças

16:55 Sofia Trindade - Fórmula do Amor 1 Comments



Querido diário.

Quando se tem 16 anos, as primeiras perguntas que as pessoas fazem são: "O que você vai ser quando crescer?", "Qual curso vai fazer?", "Já escolheu sua faculdade?", "Vai fazer ENEM?". E quando nós respondemos as outras perguntas são: "Por que você escolheu isso?", "Por que não faz como todo mundo?". E minha resposta é bem simples: Porque NÃO!
Eu escolhi uma profissão de risco. Eu a amo mais que tudo e tenho orgulho de dizer que quero ser isso. Porém as vezes parece que o mundo não conspira ao meu favor. Tudo bem, essa frase já é um clichê. Mas é a melhor forma que temos até hoje para nos expressar.
Eu escolhi ser escritora. Mas é difícil falar isso para as pessoas. Para vocês terem uma noção básica, já riram de mim quando eu disse que queria ser escritora. Sim, riram.
Quanto mais eu afirmo o que quero, mais as pessoas não acreditam em mim.
Minhas professoras de português por exemplo, já cansei de falar para elas que quero escrever, e elas não me dão nenhum apoio, incentivo ou lição, em relação a isso. Tudo que eu aprendi, foi com os livros e a internet.
Eu tenho um sonho de publicar um livro. E a cada dia que passa eu tenho mais ideias, para mais livros.
Só que a falta de incentivo das pessoas que estão ao meu redor, me machuca.
Alguns deles simplesmente leem meus textos e falam: "Muito Bom" ou "Legal". Mas na verdade, eu queria ouvir: "Parabéns Sofia. Continue assim." ou até mesmo uma critica negativa tipo: "Acho que você errou um pouco aqui. Que tal você colocar isso ou aquilo?". Mas tudo que eu consigo arrancar das pessoas é um breve suspiro e um "legal".
Eu sou muito sonhadora e persistente. Desistir é uma coisa que só está presente na minha vida em último caso. Mas fica muito difícil ter que prosseguir uma longa jornada, sem ter alguém para me dar um apoio real.
Por um longo tempo, eu escondia tudo o que eu escrevia. Eu não mostrava com medo do que as pessoas iam achar em relação ao que eu escolhi ser.
Mas agora, eu tenho coragem. Eu quero aprender. E quero que as pessoas me ensinem. Tanto com criticas como elogios. Principalmente que pela forma que eu escolhi alcançar as pessoas, eu preciso de um apoio.
Eu preciso de ajuda.
Mas a verdade, é que as pessoas não querem ajudar. Elas só querem julgar e nos deixar para baixo.
As pessoas deixaram de acreditar nelas mesmas e é por isso que ela não acredita mais no seu próximo.

Até a próxima depressão.
Tchau.

Esse texto foi escrito para meu blog Diário (clique aqui para ver)

Você pode ler também

Um comentário:

  1. Oi, Sofia! Tudo bem?
    Sabe o que você precisa fazer?
    Acreditar em você mesma, fazer o que você gosta e sambar na cara da sociedade!!
    Se você acha que tem potencial pra escrever, você TEM que escrever. Indiferente do que as pessoas que estão ao seu redor pensam. Não são elas que vão fazer o seu futuro, é você mesma.
    E olha, você tem a gente, blogueiros e seguidores, que estão aqui pra te apoiar e te ajudar. Tenho certeza que aqui vai ter gente que vai adorar receber seus textos e dizer sinceramente o que achou e te incentivar.
    Velho, mas não deixa de fazer o que você ama por falta de ajuda. Faz o que você gosta, escreva. Escreva muito. Erre muito. Faça uma lixeira pra jogar as bolinhas de papéis do que você não curtiu. Passe noites acordadas botando suas ideias no papel. Tenha ideias durante aulas, jantares, conversas. E só mais uma coisa: não desista. Você pode até não conseguir, mas só vai saber o resultado depois que tentar.
    Beijo
    mundoemcartas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

ATIVE AS NOTIFICAÇÕES de resposta clicando em "Notifique-me", no canto DIREITO da caixa de comentários.
Isso aumenta a interação entre blogueiro e leitor e você pode ler minha resposta :)