Resenha: Identidade Roubada

23:39 Sofia Trindade - Fórmula do Amor 10 Comments


 Identidade RoubadaAutora: Chevy Stevens
Ano: 2011 / Páginas: 256
Editora: Arqueiro
Nota:

Sinopse: Era para ser um dia como outro qualquer na vida de Annie O’Sullivan. A corretora de imóveis levanta da cama com três objetivos: vender uma casa, fazer as pazes com a mãe e não se atrasar para o jantar com o namorado. Naquele domingo, aparecem poucas pessoas interessadas em visitar o imóvel. Quando Annie está prestes a ir embora, uma van estaciona diante da casa e um homem sorridente vem em sua direção. A corretora tem certeza de que será seu dia de sorte. Mas o inferno está apenas começando. Sequestrada por um psicopata, Annie fica presa durante um ano inteiro em um chalé nas montanhas, onde vive um pesadelo que deixará marcas profundas.
Resenha: Depois de conhecer O quarto de Jack, livro maravilhoso que recomendo muito, quis conhecer outros livros onde vítimas de abusos físicos e psicológicos narrassem sua história e mostrassem sua dor, algo que por muitas vezes não é totalmente compreendido pela sociedade. Parece estranho falando dessa forma, mas esse gênero literário é um dos poucos que conseguem me passar uma lição de vida, algo que me faça pensar em como nós mulheres temos uma luta maior do que os homens imaginam. Fazendo uma busca pela internet conheci Identidade Roubada de Chevy Stevens, e por sorte sou parceira da editora que o publicou no brasil, a editora Arqueiro.


Annie é uma corretora que finalmente está conseguindo seu lugarzinho ao sol. Tem uma casa ótima, um trabalho que está indo muito bem, obrigado, um namorado carinhoso e uma cachorra que ama mais que tudo. Quando Annie está prestes a ir embora da casa que está vendendo e encerrar mais um dia de trabalho um homem, aparentando ser um cliente, se aproxima da casa em questão. Esbanjando simpatia e um grande interesse de realizar a compra da casa, Annie não pode deixar de atender o tão charmoso comprador. O que ela não imagina é que na realidade o homem é um maníaco que tem o plano macabro de sequestra-lá...

Identidade roubada é um livro com uma questão muito delicada de ser tratada, e creio que qualquer autor que estiver lendo minha resenha vai concordar com isso. Falar de abuso sexual e psicologo e, principalmente, narrar como as vítimas em questão tiveram que prosseguir depois do ocorrido pode ser um tiro no pé e por isso o livro precisa ser feito com muita sensibilidade e delicadeza. O livro é narrado de uma forma bem diferente das que já li. Annie narra o ano que foi obrigada a conviver com seu sequestrador para sua terapeuta e desde o começo a personagem pede somente uma coisa: "Só me ouça falar". De forma direta e muito simples a autora consegue encaminhar a história no presente e passado, mostrando em cenas intercaladas períodos em que Annie estava no chalé e períodos em que ela teve que aprender a reviver e superar os traumas sofridos.

Mesmo sendo um assunto pesado o livro possui sua leveza que ajuda com que o leitor leia a historia rapidamente. Me sinto um tanto obrigada em avisar que a história possui cenas um pouco fortes e por isso algumas pessoas tenham uma certa dificuldade em ler, mas elas só estão presentes em alguns capítulos. Por incrível que pareça a história toma um rumo que ninguém imagina, nem mesmo eu imaginava. Ao mesmo tempo que eu chegava no final e ficava indignada com tudo que aconteceu, ficava também intrigada desejando que o livro nunca acabasse.

A história que Chevy Stevens criou trata de assuntos muito mais delicados do que se imagina. Identidade roubada é aquele livro que tem de tudo um pouco e a autora soube encaixar cada acontecimento tratado no enredo em seu devido tempo de forma que quem está lendo o livro sinta várias emoções no decorrer das páginas.

Você pode ler também

10 comentários:

  1. Gosto de livros assim com temas serio 'O tema já deixa claro o problema' e que seu desfecho nos deixa surpresos. Muito Boa a resenha!

    ResponderExcluir
  2. Oi, como vai?

    Conheço o flime O quarto de Jack, muito bom por sinal, já o livro não li, mas, depois de assistir aos filmes consigo imaginar toda a narrativa e perco o interesse. Quanto ao livro aqui sugerido, me parece ótimo, mas, já assisti ao filme e isso me desanima, pelo motivo acima mencionado. Para quem não tem essa dificuldade que tenho e, se o livro for tão bom quanto ao filme, vale super a pena a leitura também. Vou tentar sair do meu comodismo e ler esse livro, pois, gosto de suspense, drama. Não os suspenses pesados tipo terror. Adorei sua resenha!

    http://www.cristinadeutsch.org/
    Saudações literárias.
    Beijos no ♥

    ResponderExcluir
  3. Oii Sofia,tudo bem?
    Menina fiquei completamente louca para ler esse livro, eu não pensei que seria todo esse drama e suspense, fiquei até com do da personagem.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Oie, tudo bem? Ainda não conhecia esse livro mas a capa chama bastante a atenção. Realmente o assunto é pesado, intenso, e o autor precisa ter sensibilidade para abordar temas assim. Que bom ter sido bem escrito, e a leitura ser fluida. Sua resenha foi bem escrita, gostei bastante. Fiquei com interesse em lê-lo. Beijos, Érika ^^

    ResponderExcluir
  5. Olá Sofia, adoro quando o autor escolhe escrever sobre um tema forte e delicado como este e consegue trabalha-lo tão bem que deixa a leitura dinâmica, pelos seus comentários esse foi o caso e sem duvida o livro deve estar muito bom *-* Vou anotar a dica e espero lê-lo em breve.

    Visite "Meu Mundo, Meu Estilo"

    ResponderExcluir
  6. Sofia, já tinha ouvido falar do livro, mas nunca li.
    Realmente é um tema muito delicado de ser tratado, os autores tem que ter uma sutileza para tratar do assunto.
    Que bom que foi bem feito.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  7. Oie
    acho que tenho o livro e fiquei muito curiosa pois adoro esse gênero, é um livro que sempre tive curiosidade, sua resenha ficou ótima e me deixou ainda mais instigada a ler

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Sofia, sua linda, tudo bem?
    Nossa, não pensei que pudesse ser tão forte assim. Você me falou algo que me prendeu a atenção na hora: o ter que continuar vivendo depois dessa agressão. Como? Acho que não resta mais nada da pessoa, talvez seja esse o significado do título, pois quem faz isso tira tudo da pessoa.Adorei sua resenha, não vejo a hora de ler!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu não conhecia esse livro da Arqueiro. Não é muito o meu tipo de leitura, mas eu gostei do enredo e acho que daria uma chance sem nenhum problema para ele.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá, não conhecia essa obra e achei interessante o enredo. A resenha ficou ótima...parabéns!

    Abraços

    ResponderExcluir

ATIVE AS NOTIFICAÇÕES de resposta clicando em "Notifique-me", no canto DIREITO da caixa de comentários.
Isso aumenta a interação entre blogueiro e leitor e você pode ler minha resposta :)