Resenha: Os Pequenos Homens Livres

23:29 Sofia Trindade - Fórmula do Amor 0 Comments


 Livro: Os Pequenos Homens Livres
Autor: Terry Pratchett
Ano: 2016 / Páginas: 304
Editora: Bertrand Brasil
Nota

Sinopse: Um perigo oculto, saído de pesadelos, vem trazendo uma ameaça diretamente do outro lado da realidade. Armada com tão somente uma frigideira e seu bom senso, a pequena futura bruxa Tiffany Dolorida deve defender seu lar contra fadas brutais, cavaleiros sem cabeça, cães sobrenaturais e a própria Rainha das Fadas, monarca absoluta de um mundo em que realidade e pesadelo se entrelaçam. Felizmente, ela contará com uma ajuda inesperada: os Nac Mac Feegle da região, também conhecidos como os Pequenos Homens Livres, um clã de homenzinhos azuis ferozes, ladrões de ovelhas, portadores de espadas e donos de uma altura de mais ou menos quinze centímetros. Conseguirão eles salvar as terras quentes e verdejantes de Tiffany?
Resenha: Tiffany cresceu rodeada de magia. Pelos livros, pelas histórias da avó, mas a inocência da menina fazia com que ela acreditasse apenas na magia dos livros e por isso não notava que a magia estava nas pequenas coisas. Um dia ela estava cuidando de seu irmão mimado as margens do rio e vê uma coisa inesperada: um barco de folha com homenzinhos dentro. Eles não disseram muita coisa, apenas que estavam fugindo de algo muito ruim.

Tifanny não sabia o que era essa coisa tão ruim, mesmo assim continuou cuidando do irmão. A garota era corajosa e não abaixou a cabeça quando uma situação embaraçosa aconteceu com ela. Isso acabou chamando a atenção de Miss Tick, uma bruxa com parafusos a menos que tem certeza de que Tiffany também é uma bruxinha. A partir dai coisas estranhas e sombrias começam a acontecer e Tiffany é a única que pode lutar contra o mal que ameaça seu lar e o pior, ela tem que resgatar o irmão que foi sequestrado pela rainha das fadas.



Os Pequenos Homens Livres já pode ser considerado um dos livros infantis mais críticos que eu já li. O autor é totalmente debochado ao soltar sua pérolas em forma de criticas, principalmente quando o assunto é Contos de Fadas. Falando assim parece que ele é alguém como Perez Hilton, mas claro que não, Terry sabe muito bem como medir suas palavras mandando uma mensagem direta para quem está lendo.

Por se tratar de uma fantasia acabei esperando algo pesado e massacrante de se ler, mas não foi nada disso e a leitura acabou sendo muito boa e proveitosa. O livro tem alguns detalhes, como em várias livros do gênero, mas o autor foca em cada um no momento certo, nada confuso e estranho, até porque o livro tem um público que necessita absorver as coisas aos poucos.

Me divertir horrores com os Nac Mac Feegle, eles são super engraçados e trazem muitas confusões hilárias para a história. No final do livro pude perceber, de novo em tom de critica, que o autor faz uma avaliação muito boa sobre o machismo. Mas só vai saber quem ler.

Foi uma experiência gratificante realizar a leitura, principalmente por ser meu primeiro contato com o autor. O livro é recomendável até para quem não curte fantasia, pois o livro vai além disso. Tudo que posso esperar no momento é que a continuação, Um Chapéu Cheio de Céu, seja tão boa quando Os Pequenos Homens Livres foi.

Você pode ler também

0 Comentários:

ATIVE AS NOTIFICAÇÕES de resposta clicando em "Notifique-me", no canto DIREITO da caixa de comentários.
Isso aumenta a interação entre blogueiro e leitor e você pode ler minha resposta :)