Resenha: Oníria - O Reino dos Sonhos

19:02 Sofia Trindade - Fórmula do Amor 0 Comments

Livro: Oníria: O Reino dos Sonhos / Autora: B. F. Parry / Ano: 2016 / Páginas: 252 / Editora: Verus / Nota: 4/5
Sinopse: Existe um mundo de cuja existência ninguém suspeita. Um lugar, porém, para onde todos nós viajamos a cada noite. Um universo em que tudo é possível. Oníria, o Reino dos Sonhos.
Eliott, de doze anos, aparentemente é um menino como outro qualquer. Até o dia em que sua avó lhe dá uma ampulheta mágica que lhe permite viajar a um mundo tão incrível quanto perigoso: Oníria, o Reino dos Sonhos. Um mundo onde milhares de personagens e universos ganham vida, assim como as coisas mais loucas e assombrosas sonhadas todas as noites pelos seres humanos. Um mundo no qual o espírito do pai de Eliott, mergulhado em um sono misterioso, estaria preso há vários meses.
Estudante comum de dia, mas um poderoso Criador à noite, Eliott pode fazer aparecer tudo o que deseja pelo simples e imenso poder de sua imaginação. Explorando Oníria para salvar seu pai, Eliott se verá confrontado com seu extraordinário destino: ele descobrirá que é o Enviado, encarregado de salvar o reino, ameaçado pela sangrenta revolução dos pesadelos.
B. F. Parry (Bénédicte Fleury) é uma escritora Francesa que criou um dos universos mais legais e detalhista que pude conhecer. Com uma proposta em partes já vista e em outra parte possuindo sua originalidade, a autora soube criar um mundo paralelo ao nosso com aventuras inesperadas e segredos irresistíveis. Mas a diferença que destaca Oníria dos demais é a seguinte: Nesse mundo, o personagem tem o poder de decidir o que acontece na trama.

Eliott perdeu sua mãe muito cedo. Quando ainda tinha cinco anos o garoto precisava lidar com a dor de saber que a mãe morreu inesperadamente enquanto dormia. Com isso Eliott ganhou a companhia de pesadelos que o atormentavam e não o deixavam dormir com medo. Mas aos poucos ele aprendeu a colocar uma barreira nesses pesadelos, isso graças a sua avó que o ajudou a vencer esse período difícil. O que Eliott não imaginava era que toda essa ajuda que sua Mamilou, (como ele chamava a avó), lhe dava na verdade era uma preparação para algo maior que aconteceria em sua vida.

Quando o pai de Eliott entra em coma, sem ter sofrido nenhum tipo de acidente, a vida do menino só piora, e para sua decepção total sua madrasta desiste de esperar que um dia o marido acorde e decidi se mudar para Londres, com Eliott e suas irmãs gêmeas. Desesperado para salvar a vida do filho, pai de Eliott, Mamilou toma a decisão de entregar a chave do portal de Oníria para Eliott e agora ele tem pouco tempo para fazer com que seu pai acorde.

Oníria é um mundo encantado que foi imaginado por inúmeros humanos, chamados de terráqueos no livro, que passaram por lá. Nesse mundo tudo pode acontecer, dependendo do que os Criadores desejam que aconteça. No início da leitura não pude deixar de perceber algumas características parecidas com um determinado filme que assisti recentemente, mas depois a obra foi ganhando um espaço original maior e a história foi se tornando mais interessante.

Mesmo tendo um interesse muito grande em terminar a leitura algumas vezes me senti um pouco dispersa e não conseguia me concentrar direito na leitura. Não sei se foi algo do momento em que eu realizava a leitura, pois a obra é bem leve e mesmo possuindo vários detalhes sobre a ambientação de Oníria não é algo maçante de acompanhar ou entender.

A forma como Parry escreveu as primeiras páginas me incomodaram um pouco. Algumas vezes a autora repetia algumas informações que antes já foram ditas e a impressão que tive foi que faltou um pouco mais de revisão da parte dela. A forma como ela escreve no meio e final do livro tem uma diferença enorme do que lemos no começo.

O que mais e deixou desesperada foi a forma como a autora escolheu dar fim ao primeiro livro. Diferente de muitas séries em O Reino dos Sonhos não temos uma conclusão exata para o primeiro livro, então dessa forma só saberemos o que aconteceu com os personagens no próximo livro. Isso se tornou desesperador pois a autora para o primeiro livro no momento em que algo muito importante ia acontecer.

Tirando isso, que não foi de fato um defeito, a leitura foi muito boa. Gostei muito de ver o desenvolvimento da autora em várias áreas, principalmente em sua escrita. Oníria foi um universo agradável e intimo de se conhecer. Aguardarei ansiosamente a continuação para ver o que acontece com Eliott e finalmente matar minha curiosidade para ver como ele irá resolver todos os quebra-cabeças que surgiram no enredo.

Resenha feita em parceria com o Grupo Editorial Record.

Você pode ler também

0 Comentários:

ATIVE AS NOTIFICAÇÕES de resposta clicando em "Notifique-me", no canto DIREITO da caixa de comentários.
Isso aumenta a interação entre blogueiro e leitor e você pode ler minha resposta :)