Resenha| Meio Rei, de Joe Abercrombie

00:03 Sofia Trindade - Fórmula do Amor 0 Comments

Autor: Joe Abercrombie / Ano: 2016 / Páginas: 288 / Editora: Arqueiro / Nota: 5/5 (Favorito)
Sinopse: Filho caçula do rei Uthrik, Yarvi nasceu com a mão deformada e sempre foi considerado fraco pela família. Num mundo em que as leis são ditadas por pessoas de braço forte e coração frio, ser incapaz de brandir uma espada ou portar um escudo é o pior defeito de um homem.
Mas o que falta a Yarvi em força física lhe sobra em inteligência. Por isso ele estuda para ser ministro e, pelo resto da vida, curar e aconselhar. Ou pelo menos era o que ele pensava.
Certa noite, o jovem recebe a notícia de que o pai e o irmão mais velho foram assassinados e não lhe resta escolha a não ser assumir o trono. De uma hora para outra, ele precisa endurecer para vingar as duas mortes. E logo sua jornada o lança numa saga de crueldade e amargura, traição e cinismo, em que as decisões de Yarvi determinarão o destino do reino e de todo o povo.

Depois de ler Meio Rei percebi que agora tenho um relacionamento de amor e ódio com Joe Abercrombie. Por ter me decepcionado grandemente com a trilogia "A primeira lei" fiquei com um pé atrás quando soube que o autor lançaria uma nova trilogia. Mesmo assim pude deixar o medo de lado e decidi que daria uma chance as histórias do autor. "Meio Rei" virou um dos meus favoritos e Joe foi perdoado pela decepção que me fez passar.

Yarvi é um príncipe amaldiçoado. Por ter nascido com a mão esquerda aleijada. O príncipe foi rejeitado pelo pai, humilhado pelo irmão e ignorado pela mãe. Com toda sua família e seu reino o tratando como um nada, a única solução que Yarvi encontrou foi abrir mão de sua posição e se dedicar ao ministério, já que para ser um ministro ele não precisaria de armas ou duas mãos, precisaria apenas de sua sabedoria.

Perto de concluir seus aprendizados e finalmente se tornar um ministro seus planos são frustados com a notícia de que seu pai e irmão haviam morrido em batalha, e agora ele, que sempre foi hostilizado por ser aleijado, deveria assumir o trono de seu reino. Deveria ser rei.

A partir daí Yarvi jura se vingar dos assassinos que mataram seu pai e irmão e para isso nenhum esforço será poupado. Mas para sua surpresa o meio Rei acaba sendo traído por alguém que ele nunca imaginava e agora precisa usar sua inteligência para sobreviver a um destino que ele nunca havia sonhado.

Fiquei totalmente surpresa quando comecei a ler as primeiras páginas do livro, principalmente por constar que algo mais leve e simples me aguardava. Abercrombie soube muito bem diferenciar uma faixa etária de outra e conduziu a narração de uma forma incrivelmente jovem, diferente da narrativa pesada e maçante que "A primeira lei" possui.

Um dos pontos que critiquei na outra trilogia foi a falta de personagens femininas nos livros do autor, o livro possui uma presença feminina um pouco maior, e ao que tudo indica no próximo volume uma guerreira estará no comando da história.

Não consegui sentir nenhuma falha no enredo. Pra mim tudo foi se encaixando no tempo certo e da forma que deveria ser. Algumas pessoas se decepcionaram com o final, mas isso não ocorreu no meu caso. Gostei muito do desfecho e não poderia ter imaginado um final melhor.

Mesmo com tantos elogios recomendo que quem ainda não conhece a escrita de Joe tenha calma e paciência. A leitura pode ser extremamente maravilhosa para alguns, como foi para mim, ou cansativa para outros, o que eu acredito que não acontecerá.

Resenha feita em parceria com a Editora Arqueiro.

Você pode ler também

0 Comentários:

ATIVE AS NOTIFICAÇÕES de resposta clicando em "Notifique-me", no canto DIREITO da caixa de comentários.
Isso aumenta a interação entre blogueiro e leitor e você pode ler minha resposta :)